Planos odontológicos devem respeitar Lei e não cobrar por “atos complementares”